Validação da Reclamação

Por favor, nos forneça informações para confirmar a propriedade e validar sua reivindicação.
caracteres perdidos: 50
OK, mensagem enviada.
Mensagem não enviada.

Categorias

Regiões

Como Curitiba projeta ofertar ensino em tempo integral em 100% das escolas municipais

Com investimento próximo de R$ 500 milhões por ano, ampliação de 10% na quantidade de professores na rede e oferta de três refeições ao dia, Curitiba planeja oferecer educação em tempo integral em suas 185 escolas públicas até 2024. A informação foi divulgada pelo prefeito Rafael Greca durante programação da semana Darcy Ribeiro, evento voltado à capacitação dos educadores da capital realizado entre 14 e 20 de outubro.

No encontro, Greca afirmou que o sociólogo e ex-ministro da Educação que deu nome ao evento sempre incentivou o ensino em tempo ampliado e Curitiba seguiria seus passos. “Todas as nossas escolas terão o integral, como no sonho de Darcy Ribeiro”, prometeu.

Para isso, a secretária de educação Maria Sílvia Bacila informou que a prefeitura primeiro garantirá essa oferta em 150 unidades de ensino, até final de 2023. A ampliação para todas as 185 unidades da rede municipal está programada para ser concluída no ano seguinte. Hoje, 126 escolas oferecem o benefício para cerca de 55 mil alunos.

“Crianças de zero a três anos da cidade já têm atendimento em tempo ampliado nos nossos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs)”, destaca a secretária, ao pontuar que a novidade focará em escolas do Fundamental 1 de todos os bairros da capital que ainda não possuem essa opção. “Uma maneira de diminuir a desigualdade, porque podemos acolher a criança por até nove horas, com alimentação, currículo qualificado e aprendizagem significativa”.

No entanto, a lista das instituições que devem receber ensino integral de 2023 e 2024 ainda não foi divulgada, assim como a quantidade de vagas oferecida. “O que podemos afirmar desde já é que o número de vagas será limitado e que a quantidade de turmas poderá variar de acordo com a demanda, quantidade de profissionais disponíveis e espaço físico”, explica Maria, sobre o próximo passo do projeto.

Atividades baseadas na aprendizagem criativa

Ainda segundo ela, os pais interessados no tempo de ensino ampliado devem procurar a instituição de seus filhos assim que a oferta de período integral for disponibilizada na unidade. Depois, com a matrícula efetivada, o aluno será atendido no contraturno escolar com atividades baseadas na aprendizagem criativa por meio de dança, matemática, língua portuguesa, artes plásticas e outras disciplinas.

“A proposta é colocar as ‘mãos na massa’, então o estudante sempre fará um processo de pesquisa, uma parceria para buscar conhecimento e terá muita tecnologia a seu dispor”, afirma Maria, ao exemplificar que a criança poderá produzir conhecimento usando artesanato ou até mesmo uma impressora 3D, por exemplo.

Gazeta do Povo – Por Raquel Derevecki – 24/10/2022 17:40